Sobrevivências/Uma Exposição Sobre Vivências: Carandiru

Oi, gente!

Voltamos ontem do Estudo do Meio e logo logo já vai ter post sobre como foi! Enquanto estamos dando os toques finais nisso, estava pesquisando sobre algumas exposições que estão acontecendo em São Paulo para eu poder conferir e encontrei uma relacionada com o Carandiru. Durante esses três dias que estávamos explorando a cidade, dois grupos (um deles era o meu) foram ao Parque da Juventude e ao Museu do Carandiru e esse tema despertou muito a minha curiosidade.

A mostra, realizada no Museu da Casa Brasileira, revela soluções encontradas pelos detentos para os obstáculos e para as condições de vida enfrentadas no cotidiano do presídio. A iconografia utilizada foi produzida pela equipe coordenada por Sophia Bisilliat e André Caramante entre 2001 e 2002, últimos anos de funcionamento do local. Em outubro de 2001, com a permissão de circular (dentro do possível) no interior do presídio, Sophia e André iniciaram o trabalho de documentação. Juntaram-se a eles João Wainer para fotografar e Maureen Bisilliat (a curadora) para gravar em vídeo os detalhes. A equipe coletou peças do dia a dia, que formam um recorte das ferramentas e utensílios improvisados pelos detentos.

(O vídeo fala até 15 de março, mas a data correta é a que se encontra abaixo, de acordo com o site do MCB)

Informações:

Lugar: Museu da Casa Brasileira (Avenida Brigadeiro Faria Lima, 2.705 – Jardim Paulistano)

Data: até 17/05/15

Preço: R$4, e grátis nos sábados, domingos e feriados

Horário: terça a domingo das 10hs até as 18hs