Comum A Dois

Oii, gente!

(Foto do instagram do projeto)

Há alguns (muitos) meses nós mencionamos um projeto incrível chamado Comum A Dois (se você não viu o post, está aqui). Nossa ideia original era entrevistá-los para o nosso documentário (que, por sinal, postaremos aqui muito em
breve), mas isso não foi possível porque eles estavam mega ocupados nesses últimos meses e acabaram ficando sem tempo de fazer a entrevista. Mesmo assim, decidimos fazer uma pequena entrevista por e-mail para poder conhecer um pouquinho mais sobre eles!

O projeto foi criado por Thiago Domingues e Carolina Sab. Ele tem 28 anos e é natural de São Bernardo do Campo. Formado em Psicologia, desde 2011 escreve poesia e alguns contos autorais. Ela tem 30 anos e também é de São Bernardo do Campo. Apesar de ser formada em Jornalismo, trabalha com produção de eventos e tem a fotografia como hobby. O Comum A 2 já esteve em eventos como a Festa Literária Internacional de Paraty, o Festival de Cultura e Arte do Grande ABC e o Ugra Zine Fest no CCSP.

Como surgiu a ideia para o projeto? “Pensamos na criação de um projeto que unisse as principais referências de cada um e que fosse comum a nós dois, enquanto casal. Assim, pegamos alguns poemas do Thiago e transformamos em lambe-lambe e passamos a colar pela cidade de São Bernardo em locais ‘inusitados’ e que favorecessem boas fotos para a Carol. Nosso objetivo maior consiste em ressignificar os espaços urbanos, principalmente as ruas de maneira a levar a poesia para as pessoas, já que acreditamos na arte enquanto vetor de transformação pessoal e social. ”

(Foto do instagram do projeto)

Por que vocês escolheram o nome Comum A 2? “Escolhemos Comum A 2, pois o projeto remete exatamente as coisas que são comuns a nós dois. Como indivíduos e como casal. A linguagem poética pra ele, a fotografia para mim (Carol) e é algo que levamos como nosso.”

Qual é a inspiração para cada poema? “Tanto para os poemas, quanto para as fotografias, a inspiração é diária, de acordo com o que estamos vivendo, nós, o país, enfim… O cotidiano inspira!”

Qual é a importância do projeto para vocês? E da poesia, de maneira geral, para a cidade? “Para nós tem toda importância do mundo! rs. É nosso hobby, nosso sonho (de ver e de participar) por um melhor, mais livre, artístico e automaticamente mais belo. Acreditamos na arte como instrumento de transformação do individuo e da cidade.”

Qual é a reação das pessoas? “No geral, muito boa!! Recebemos um feedback muito positivo e carinhoso. Isso nos estimula a continuar. Mas também tem o fator de que o belo e a poesia incomodarem alguns… Ficamos tristes quando vemos quando alguém tenta tasgar um lambe nosso colado na rua. Mas também temos plena consciência da efemeridade da arte nas ruas. É assim com graffite, diversas obras e com os nossos lambes não seria diferente… Mas resistimos! E continuaremos colando enquanto isso fizer sentido para nós e para cidade.”

Qual é a sensação quando vocês passam por um lambe que vocês colaram ou quando são chamados para mostrá-los em algum lugar? “Ah… eu (Carol) acho sensacional ! Principalmente os que são feitos pra mim. Brincadeira, rs. É muito lindo ver de longe as pessoas parando para ler ou quando fotografam e nos marcam em nossas redes sociais.

(Foto do instagram do projeto)
(Foto do instagram do projeto)

É gratificante sim ver que em meio ao automatismo em que vivemos, nessa loucura que é São Paulo, nosso objetivo de que as pessoas parem, leiam, respirem e reflitam no presente está tendo o objetivo alcançado. ”

Todo o trabalho que vocês têm compensa? “Acho que recompensa é a nossa sensação de dever cumprido. O sentimento de que estamos fazendo a nossa parte, mesmo que minimamente, mas trabalhando com o que acreditamos e que de alguma forma, estamos contribuindo para um mundo melhor, mais altruísta e belo.”
A Carol e o Thiago já lançaram três livros artesanais, chamados “7 Poemas Para Amolecer Pedras”, “O Bordado de Filomena” e “O Livro do Antes” que parecem ser lindíssimos! Caso alguém se interesse, é só entrar em contato com eles pelas redes sociais (que estarão aqui embaixo).

Espero que vocês se apaixonem por esse projeto tanto quanto nós!

Informações: Facebook, Instagram

Comum A2

Mencionamos nesse post um projeto que se chama “Comum A2”, então viemos contar um pouquinho mais sobre ele nesse post, já que em breve faremos uma entrevista com eles para o documentário.

Da página do facebook deles.

São dois criadores, o Thiago e a Carolina, ele é poeta, ela, fotógrafa. De acordo com eles, “o projeto Comum a 2 surgiu com uma necessidade de integrar nossos gostos e aptidões”, então eles resolveram criar os lambe-lambes, colar e fotografá-los.

“Além disso buscamos, através da poesia, favorecer a convivência e a integração de todos, ressignificando os espaços urbanos e superando a automação cotidiana pelo viés da arte. Nossas maiores referências são os poetas Maiakovski e Pablo Neruda e a escola polonesa de confecção de cartazes. Nós somos de São Bernardo do Campo, mas já estivemos com os lambe-lambes em diversas outras cidades de São Paulo e em Curitiba.”

Eu (Ana), particularmente, sou completamente apaixonada por esse projeto, acho que é um dos meus favoritos, de verdade. Não só pelo fato de as frases serem um amor, mas também porque muitas delas tem a Carol sendo mencionada, então é muito fofo. Durante o estudo do meio até encontramos um dos cartazes! É lógico que eu e a Rafa (que éramos do mesmo grupo) piramos.

Foto que nós tiramos na Liberdade.
Foto que nós tiramos na Liberdade.
Da página do facebook deles com a legenda “Que a paz seja doce e o amor colorido.” (um dos meus favoritos)

Todos os cartazes são uma fofura sem fim! Os cartazes têm frases pequenas, mas são o tipo de coisa que você vê na rua e te faz feliz pelo resto do dia. ❤

Esperamos que vocês se apaixonem pelo projeto tanto quanto nós!

Algumas informações: Instagram, Facebook

O grupo ❤