Eduardo Srur

No dia 13 de março eu fiz meu primeiro post (não obrigatório) aqui {como passou rápido, meu deus}. Ele era sobre um projeto do Attack Intervenções Urbanas.

Admito que aquele post é muito pouco desenvolvido e bem ruinzinho, mas foi bem no começo, não dava para esperar muito né. Mas enfim, o vídeo que está nele é um exemplo de intervenção da Attack, empresa fundada e dirigida pelo artista Eduardo Srur. Você pode estar se perguntando por que eu estou falando disso mais de três meses depois, então vou explicar: como estamos fazendo um mini-documentário, entramos em contato com o Eduardo e muito provavelmente faremos uma entrevista com ele em julho. Sendo assim, vim falar um pouquinho mais dele.

Eduardo Srur é um artista visual paulistano nascido em 1974 e conhecido, hoje, por suas intervenções urbanas. No entanto, ele começou sua trajetória de artista visual com a pintura e somente a partir de 2002 passou a se dedicar às intervenções. “Suas obras se utilizam do espaço público para chamar a atenção para questões ambientais e o cotidiano nas metrópoles, sempre com o objetivo de ampliar a presença da arte na sociedade e aproximá-la da vida das pessoas” (site dele). Ele realiza diversas intervenções urbanas na cidade de São Paulo e já participou de exposições em vários países, como Cuba, França, Suíça, Espanha, Holanda, Inglaterra e Alemanha.

“Eduardo Srur tem uma urgência: ser visto e ouvido. Talvez não ele pessoalmente, mas suas ideias e seu desconforto com o que vê. O resultado são intervenções/manifestos artísticos nascidos da observação e do incômodo que brotam da sua relação com a cidade de São Paulo, o espaço público onde nasceu e que divide com outros quase 11 milhões de pessoas.” (coluna de Paulo Lima)

Escolhi algumas intervenções dele que eu gosto para falar um pouquinho:IMG_0001

A intervenção PETS era composta por esculturas gigantes na forma de garrafas plásticas. A exposição ocupou, em 2008, as margens do rio Tietê, em São Paulo, por dois meses e foi vista por mais de 60 milhões de pessoas. A obra foi visitada por 3 mil crianças e professores da rede pública de ensino. No final da exposição, o material plástico das garrafas infláveis foi transformado em centenas de mochilas desenhadas pelo artista Jum Nakao e doadas às escolas que fizeram o passeio.

IMG_0003Trampolim foi uma intervenção feita em 2014 no rio Pinheiros, nela
vários bonecos foram colocados na ponta de pranchas azuis posicionadas em diversas pontes que cruzam o poluído rio. O mais interessante não é a intervenção em si, mas a reação das pessoas,
houve 300 ocorrências no Corpo de Bombeiros (pensando ser pessoas reais e não bonecos), selfies e grande número de posts nas redes sociais. Além disso, uma das esculturas levou um tiro de revolver e outra teve a cabeça decepada.

(as imagens acima são do site do Eduardo Srur)

Foto: http://www.clubedecriacao.com.br/ultimas/arvores-caidas/

Árvores caídas foi inaugurado no dia 27/6 e está ocorrendo na Praça da Paz do Ibirapuera. De acordo com esse site, “o projeto foi criado em janeiro, quando São Paulo ficou caótica por causa da queda de 1.700 árvores – aproximadamente 700 em apenas 4 dias. Diversas ruas foram interditadas, o trânsito ficou infernal e, no Parque Ibirapuera, as pessoas praticamente tropeçavam em árvores caídas, o que deu nome ao projeto. A prefeitura, responsável pelo manejo dos troncos, não deu conta de retirá-los. A causa de tantas quedas em janeiro foi a intensidade de chuvas, o vento, a idade avançada das árvores, a infestação de pragas e o manejo irregular. Passado o verão, o problema foi deixado de lado, mas, com certeza, se nada for feito, acontecerá novamente quando a temporada de chuvas voltar. O objetivo do projeto #ARVORESCAIDAS é conscientizar o público sobre a importância das árvores para a cidade e como deve tratá-las para evitar que a situação observada em janeiro se repita.” Assim, Srur fixou no chão um tronco de eucalipto com um manequim de cabeça para baixo agarrado a ele. Isso representaria a relação invertida do homem com a natureza.

Tem algumas palestras dele aqui, e eu achei essa bem legal, nela Srur fala um pouco mais sobre algumas das suas intervenções (inclusive sobre o PETS) e seus significados:

Informações: facebook, instagram

Analu

Anúncios